Desenhos 27 e 28

esse é uma prévia do ultimo trabalho… ai ele tava secando ainda… no chão do meu “atelier” (hahah quarto ) e então tirei uma foto apenas para postar aqui…
na proxima coloco ele finalizado e com mais dois trabalhos…
o uso de imagens repetidas é proposital… é a lembrança, a sobra…
O resultado final desse ultimo trabalho não me agradou muito… agente sempre espera mais de um ultimo trabalho para uma série… esse não deu… hehe

Este é o penultimo trabalho… todos relacionam o mesmo assunto e as mesma técnica e linguagem que comecei a desenvolver no semestre passado no curso de desenho.

aquilo que deve ser dito… as sobras… fragmentos… lembranças, memoria e etc…
abraços e até a proxima…
(estou sem tempo para devaneios… )

Desenho 25 e 26 (“Lembranças e Janelas”e “Três Corações”) devaneio 8

Lembranças e Janelas . técnica mista

Três corações, aguada de acrilica e guache sobe papel.
Esses são a continuação do meu trabalho… ainda com os mesmos principios dos trabalhos anteriores…. falam da auséncia, a busca… os vestigios a sobra… os proximos posts serão os ultimos trabalhos dessa série… depois deles vou mudar o formato e o suporte… tentar configurações diferentes.
em seguida devaneio 8
Aos Poucos tudo vira nada.

Aos poucos tudo vira nada
O tempo leva a todos pela mesma estrada
Até mesmo um grande amor é esquecido
Restando apenas sobras do que foi vivido.

Aos poucos tudo vira nada
Lindas jornadas viram pegadas
Dos mais belos sonhos sobram vestígios
Se esquecem de si próprios em pequenos esconderijos

Aos poucos o amor vira dor
E toda dor aos poucos se apaga
Alguém que nunca de fato existiu
Caminhando pela vazia madrugada

Aos Poucos tudo vira nada
Pois ficaremos vazios no fim da jornada
Pois esperamos sempre que tudo passe
O tempo é um rio e nós uma jangada.

E Aos poucos tudo se acaba
Em um lampejo, um desejo
Seu beijo que nunca sentirei
Nos sonhos que nunca viverei

Aos poucos tudo vira nada
Você será apenas uma lembrança
Nem boa nem ruim, uma lembrança apenas…
Do que fiz de mim.