Desenho 66 – Devaneio 21 – Lacuna



Retrato feito tendo um fotografia como referencia

Técnica: extrato de nogueira sobre papel, finalização Photoshop

Lacuna

“A Sua falta é uma lacuna…

Tão real e sólida quanto aquelas

Que mantêm em pé

O prédio ao qual você não está.

E o que antes era a dor de esperar alguém

Que não se sabe que virá,

Hoje é a dor da certeza,

De que você não vai estar lá.

Por outro lado é leve,

Pois não tenho por que de desejar,

Nem motivos para me forçar.

Apenas a bela saudade,

E o conforto de pensar em você,

Bem, ou tentando bem estar,

Às vezes longe, às vezes no mesmo lugar.

Às vezes a culpa é apenas do céu,

Da impressão que nos dá,

Que o sol andou, e com ele mudou

Tudo e todos de lugar…”

Guerreira – Desenho 65 – Devaneio 20 – E se todas as rosas…



Técnica: Nanquim, Pintura Digital.

Olá a todos, como fim de férias terminei a cor dessa ilustração que é um pouquinho velha, o desenho eu devo ter feito a uns dois anos, por isso não gosto muito do resultado da arte final, proporção e tudo mais. como eu já tinha começado a colorir resolvi terminar pra treinar.

abraços a todos.

e mais um devaneio.

E ainda que todas as rosas nascessem vermelhas

E como se na dor fosse mais bonito vê-las

E se nada fosse um grande vazio

E sem sentido vagássemos por entre as estrelas…

Ou se perdendo como um gato vadio

A procura de algum novelo…

Ainda assim seria dor a vida,

Seria êxtase e desespero

Pois nada é tão certo quanto o incerto

Nada é tão verdade quanto à falta do verdadeiro,

Nada é apenas nada quando tocamos o concreto.

E ainda que todas as rosas crescessem belas

E toda sua vida dependesse delas

E se o vermelho fosse o seu sangue

E as pétalas desabrochassem nas batidas de seu coração

Nada disso seria tua certeza

E nada porém, seria em vão.

Desenho 56 ( Auto-retrato TnTema ) Devaneio 13 e 14 ( Eu…) e ( Eu 2)

Finalmente atualizando!

Por falta mais de estimulo do que tempo, fiquei sem terminar umas 5 ilustras hahaha, vou termina-las e em breve aparecerão aqui!

por hoje, mais uma para o TNTema. Auto-retrato.

e Devaneiso que são auto-retratos.

Eu….

Eu sou o meu destino
Eu sou a minha esperança
Eu sou os meus desejos
Eu sou minha abonança.

Eu sou o avesso do comum
Eu sou a cópia do que desconheço
Sou o caminho desconhecido
Sou o que sempre volta ao começo

Sou o que ama veladamente
Sou o que te deixa rosas no armário.
Eu sou o que se esconde de si mesmo
Eu sou o que se conhece no espelho
Eu sou apenas o que sou…
Não ser o que quero é o meu medo.
Não ter o que sonho é minha sina.

Eu 2

Sou estrada
Não sou estação
Sou pegadas,
Sou apenas ilusão

Não sou um porto
Sou o mar…
Eu sou o vento
Que vai te levar.

Não sou o sonho,
Sou apenas o sono,
Não sou a felicidade
Mas levo até ela…

Sou o corredor
E não o quarto ou sala
Não sou cômodo algum.

Sou o vácuo do silencio
Sou o que se cala entre seus pensamentos.

Sou o inconstante e o mutável,
Sou o que não pode ter nem desejar
Pois nada fica por mim,
Tudo passa, leva-me um pedaço…
E deixa-me ao descaso.
Sou o que proporciona amor…
E nunca, porém, é amado…

Sou transparente,
Por muitas vezes invisível,
Mostro-te o desprezível,
Convenço-te do indivisível.

Mas e você quem é?
O melhor de mim pode levar,
Eu não vou me importar.
Não peço nada em troca,
Dou o que acho que devo dar,
Por isso posso me machucar,
Você…
Talvez nem vá ligar…
Mas serei sempre a janela
Que te mostrará um belo luar.

1 2 3